Educação financeira: Como ensinar as crianças?

30 de agosto de 2019 às 15:49Artigos

Ensinar os filhos sobre educação financeira é muito importante para criar uma sociedade mais consciente sobre os assuntos econômicos. Atualmente, as pessoas não são tão informadas sobre questões financeiras e alguns números evidenciam essa realidade. Se formos falar apenas sobre o Brasil, 77,4% das famílias tem dívidas em aberto com o cartão de crédito, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Portanto, ensinar as novas gerações a economizar e guardar o dinheiro para projetos pessoais é muito importante. Isso fará com que eles não tenham tantos problemas para lidar com a economia e dessa forma conseguirão equilibrar melhor as contas dentro de casa.

Qual a importância da mesada na educação financeira?

A mesada é uma importante maneira de educar a criança financeiramente e para que ela faça escolhas mais responsáveis. Através dessa ideia, você fará com que o seu filho(a) tenha o primeiro contato com a administração do próprio dinheiro e mostrará para ele que o recurso acaba e por isso o cuidado deve ser redobrado.

Quando começar e quanto dar?

A educação financeira deve começar desde quando as crianças são bebês, com o exemplo dos pais a ser seguido. Já a mesada deve começar quando ela souber fazer contas. E não se esqueça, sempre acompanhe seu filho, ele precisará da sua ajuda!

Além disso, é importante dizer que o valor da mesada é condizente com a capacidade de contar e calcular. Portanto, se a criança consegue fazer contas de somar e subtrair até dez, dê R$ 10. Agora, se ela consegue fazer as operações até 100, já pode aumentar o “salário” do seu filho.

As crianças podem comprar o que quiserem?

Esse não é um hábito que você deseja que seu filho desenvolva. Imagina se você pudesse gastar com tudo aquilo que você quer comprar. Realmente, se você não é rico, na melhor das situações, o dinheiro ficaria curto no final do mês.

Por isso, é importante que desde pequeno sejam impostos limites para que as crianças criem consciência de que não podem sair por aí e gastar com o que bem entenderem. No final, o seu filho aprenderá o real valor das coisas e pensará duas vezes antes de consumir.

O que fazer se a criança “falir” antes do final do mês?

Se você pensou que a resposta seria “dê mais dinheiro, é só uma criança mesmo” você se enganou completamente. Assim como elas tem que entender o valor do dinheiro, também é preciso mostrar que toda ação gera um resultado. Nesse caso, se o seu filho gastar o dinheiro dele de forma “errada”, ele verá o quão ruim é não poder comprar as coisas que deseja e assim da próxima vez terá mais consciência.

Para entender educação financeira, explique o que é o cartão de crédito!

Como já foi dito, atualmente, muitos brasileiros tem dificuldades para arcar com as contas do cartão de crédito. Por isso, à medida que as crianças vão aprendendo sobre como lidar com o dinheiro, é importante começar a explicar para elas como funciona o cartão de crédito.

A falta de conhecimento é um dos principais motivos para o endividamento do cartão. 53% dos brasileiros possuem o cartão de crédito e desses 96% não fazem nem ideia de qual é o valor dos juros. Isso apenas mostra que na visão dos adultos (imagina de uma criança) o cartão é uma verba a mais, extra, e aqueles que pensam assim estão extremamente equivocados.

Você deve mostrar que os valores gastos no cartão também serão descontados do seu salário e que se você não se planejar, isso afetará as contas da casa.

Além disso, é legal mostrar que o cartão funciona de uma maneira diferente da do dinheiro, falar que o crédito possui juros que são cobrados mensalmente e tornam o valor final mais caro. Portanto, sempre ensine o seu filho que, quando você possui o dinheiro, é melhor pagar à vista.

Inclua a criança nas decisões financeiras

Calma, não estou querendo dizer para você pedir para o seu filho analisar a conta de água. No entanto, incluir os pequenos nas decisões de casa é uma saída para ensinar a educação financeira. Isso pode ser feito em situações do dia a dia, como uma ida ao supermercado.

Inclua o seu filho na conversa quando estiver fazendo a lista de produtos que a família precisa e então peça para que ele escolha os produtos que estão em promoção ou com valores mais baixos. Outra saída é separar uma quantia desse dinheiro e dar para ele(a) comprar algo. Assim a procura será por produtos mais baratos e o raciocínio lógico e a capacidade de memorização melhorarão.

Conclusão

Fazer a inclusão das crianças nas contas de casa é uma estratégia muito legal para que ela aprenda sobre finanças. Eles gostam de se sentir parte da família e isso fará com que a educação financeira se torne algo legal.

Quando começarem a crescer e criarem uma consciência maior sobre o assunto, é importante começar a dar uma mesada para que eles saibam cuidar do próprio dinheiro. Assim eles desenvolverão uma responsabilidade maior sobre os seus pertences e não ficaram tão reféns de vocês, pais.

Converse com a gente, tenha agora mesmo o seu cartão de compras BônusCred.

Outros Artigos

Por quê criar categorias para os gastos?

Não é um costume dos brasileiros, mas cuidar das finanças é muito importante. E para que isso seja feito da maneira correta é preciso...

Veja Mais

POS x TEF: Qual a diferença?

Se você pensa em abrir um estabelecimento comercial, você precisa saber um pouco sobre as máquinas POS e TEF, até para que não tenha...

Veja Mais

Como organizar as finanças no final do ano?

Quer aprender a controlar os seus gastos durante o final de ano? Então, não perca a oportunidade de ler o conteúdo que produzimos para...

Veja Mais